Saída de bola Benfica

rui-vitoria

Numa equipa que queira sair a jogar desde trás, na saída de bola, é importante gerar situações de superioridade numérica que permitam contornar facilmente a primeira linha de pressão adversária. Esta é uma das razões pela qual muitas vezes vemos o médio defensivo a cair entre os centrais, por exemplo, num mecanismo muitas vezes conhecido como “Salida Lavolpiana” em honra de um dos treinadores que mais vezes utiliza esse mecanismo, o argentino La Volpe. Esta saída de bola desde trás leva o adversário muitas vezes a pressionar e a desfazer o seu bloco compacto.

Contudo, apesar de ser importante gerar essa superioridade numérica na saída de bola, é igualmente importante, de modo a que a saída de bola seja eficaz e útil, que sejam colocados jogadores mais avançados no terreno que permitam a progressão vertical e a quebra de linhas adversárias. Sem isto, a superioridade numérica gerada no início de construção tornar-se-ia simplesmente fútil.

Na saída de bola do Benfica é comum ver-se o médio defensivo cair entre os centrais ao ao seu lado, de modo a tentar então gerar a situação supracitada. Porém, para além de os centrais não abrirem muito, conferindo largura à saída, os laterais também não se projectam muito. Da mesma maneira que uma projecção exagerada dos laterais pode ser pouco benéfica e até mesmo prejudicial, uma projecção deficiente destes mesmos pode levar a que a saída de bola seja pouco eficaz.

Isto é um problema que afecta sistematicamente a equipa do Benfica que se vê obrigada a jogar longo ou a fazer passes verticais muito longos, de difícil execução e com grande probabilidades de serem interceptados, desde os defesas até aos homens mais avançados. Não é, de todo, incomum ver passes directamente dos centrais para os extremos ou para a parelha de avançados que depois se encontram desapoiados e precisam de esperar pelos apoios, dando tempo para que o adversário seja capaz de construir novamente um bloco compacto e de difícil penetração.

saida-de-bola-benfica

Nesta primeira imagem podemos ver que o médio defensivo encarnado (Samaris) caiu para perto dos centrais. Porém, André Almeida não se projectou conferindo uma linha de passe mais avançada e que permitisse a quebra de linhas e progressão vertical, mas sim ficou na mesma linha de passe que Samaris oferece, tornando-se assim inútil o seu posicionamento. É preciso definir esta situação. Se Almeida não tem capacidade para oferecer essa tal linha de passe que sugiro, então que se faça a saída a 3 com Almeida a fazer parte dela e sem que Samaris precise de cair para perto dos centrais. Note-se também que a saída é algo estreita. Na minha opinião os centrais não abrem o suficiente.

saida-de-bola-benfica-1

Nesta segunda imagem vemos uma linha de 4 na saída de bola, desta vez com Pizzi em vez de Samaris mas novamente com André Almeida pouco projectado e com os centrais pouco abertos. Pizzi tem duas opções de passe verticais, uma para Samaris que facilmente seria pressionado pelos homens de Moreira de Cónegos e outra para Salvio que, estando desapoiado devido à pouca projecção de André Almeida teria de segurar até que o Benfica subisse, dando tempo ao Moreirense para se reorganizar, ou então partir para o drible, tentando ultrapassar o maior número de adversários possível, diminuindo as probabilidades de sucesso. Podemos ver aqui o resultado deste lance.

A saída de bola estreita por não afastar os centrais por parte do Benfica orienta também a construção para fora, já que ao ser estreita é mais fácil para o adversário controlar o meio, levando o Benfica para as alas, onde é mais fácil pressionar e defender. Podemos verificar isso neste vídeo.

Na minha opinião a saída de bola do Benfica é pouco eficaz e a equipa não consegue tirar grandes proveitos dela.

Anúncios

2 Replies to “Saída de bola Benfica”

  1. Concordo. Este problema nota-se pouco porque a linha ofensiva do Benfica tem uma qualidade incrível e é capaz de desequilibrar mesmo em situações de grande desvantagem. Nélson Semedo e Grimaldo (principalmente) também ajudam a disfarçar ainda mais esta debilidade.

    PS: E aquele pontapé de baliza do Éderson para o Rafa na área adversária? Que coisa absurda… Foi practicamente meio golo, faltou melhor definição por parte do Benfica.

    Cumps

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s